Boston (Massachusetts - EUA)

Por Graciela Mayrink

Simplesmente apaixonante

Assim que colocamos os pés em Boston, sabíamos que a amaríamos para sempre!

É uma baita declaração, mas a cidade é fofa, limpa, organizada e excelente para se andar a pé, tudo que amamos em um único lugar. Engraçado que Boston entrou e saiu do nosso roteiro algumas vezes, até ficar definitivamente. E ainda bem que a mantivemos na viagem!

 

Chegamos em Boston por volta de 15h do dia 04 de março de 2020, uma quarta-feira, depois de uma viagem de trem tranquila de umas 4h de NY para lá. Descemos na estação Back Bay e decidimos ir a pé para nosso hotel, que ficava a uns 12 minutos andando. Nossas malas não estavam pesadas e eram poucas, tranquilas de puxar (viva as malas 360!). E foi a melhor decisão porque conseguimos já entrar no clima de Boston e apreciar sua arquitetura europeia. A vontade era de passar reto do hotel e continuar andando, mas as malas precisavam ficar.

Nós amamos andar, andar, andar, andar por uma cidade quando chegamos (e o tempo todo que ficamos nela). É uma ótima forma de conhecer o lugar e "sentir" a cidade, como se fosse uma pessoa local, e o fato de Boston proporcionar isto nos conquistou de cara.

Fizemos o check-in e fomos para o Prudential Center a pé, o prédio mais alto de Boston. É nele que fica o Skywalk Observatory, um observatório no andar 50 para quem quiser curtir a vista da cidade, e também o Top of The Hub, um restaurante localizado no andar 52. Eu estava doida para ir ao Top, ainda mais depois de saber que vai fechar no final de abril (que triste!). Era a nossa chance, só que não tínhamos reserva. Quando chegamos, todas as mesas ao redor da janela estavam ocupadas, então a hostess nos sugeriu chegar no dia seguinte assim que abrisse, e foi o que decidimos fazer.

Só que ainda precisávamos comer! No primeiro andar do Prudential Center funciona um shopping, e decidimos olhar as opções de restaurantes. Para nossa felicidade, vimos que lá tem uma filial do California Pizza Kitchen. Já estávamos de olho neste restaurante em Tampa, mas com tanta opção de comida lá, não conseguimos visitar o CPK, então nossa escolha em Boston foi fácil.

No California, escolhemos a pizza Tostada, que é no estilo mexicano, com alface, sour cream, tortilhas e até um molho apimentado. A pizza é uma delícia! Pode soar estranho alface na pizza, mas acredite em mim: funciona muito bem! De sobremesa, escolhemos um brownie de nozes pecan com sorvete de baunilha. Divino.

De lá, voltamos andando para o hotel, curtindo o friozinho da noite de Boston.

Na quinta, acordamos cedo, andamos pela Commonwealth Avenue, uma avenida com uma espécie de um canteiro grande para pedestres no meio (veja foto ao lado), muito agradável de caminhar, e fomos para o Top of The Hub almoçar às 11h30. Isso mesmo, almoçar cedo para garantir uma mesa na janela e, para nossa surpresa, várias outras pessoas tiveram a mesma ideia! Mas conseguimos nossa mesa e uma vista linda de pano de fundo para o que foi um almoço maravilhoso.

O menu era fixo com 2 opções de entrada e sobremesa, e 3 de prato principal. Optamos por uma sopa de ervilha deliciosa, seguida de uma carne de porco crocante com aspargos e abóbora assada e, de sobremesa, eu fui no bolo de chocolate triplo com praliné e a Flá escolheu o creme brullé com frutas silvestres. Tudo perfeito!

Depois de comermos bem, e muito, e de várias fotos e vídeos da vista linda de Boston, fomos andar por Back Bay, um bairro bem movimentado da cidade, onde fica o Prudential Center. Andamos pela Charles River Esplanade, um parque bonito cercado pelo rio Charles. Isso mesmo, você vai caminhando pelo parque com água dos dois lados e algumas pontes que levam do parque para a cidade, é como um caminho amplo, arborizado e agradável. Ficamos um bom tempo por ali, tirando foto e apreciando a bela paisagem. Uma das pontes leva até o Hatch Memorial Shell, uma concha acústica linda, que tem gravado nomes de vários compositores de música clássica, e é claro que fomos até lá.

Como ainda era cedo, decidimos dar uma volta por Beacon Hill, que é um bairro muito fofo colado em Back Bay. Subimos pela rua principal dele, a Charles St., até o final, observando a arquitetura dos prédios, e depois voltamos para a beira do rio, retornando até o Hatch Memorial Shell e de lá voltamos para o hotel.

Sexta-feira acordamos empolgadas porque de noite havia previsão de neve. \o/

Saímos do hotel e passeamos pelo Public Garden, primeiro jardim botânico público dos EUA, onde tiramos fotos na ponte no meio do parque e da escultura "Make Way for Ducklings", de uma pata com seus patinhos, baseada em um livro infantil famoso no país. A ideia era ir depois ao Boston Common, ao lado dele, mas já estávamos com fome (nosso eterno estado de espírito na viagem).

Fomos almoçar na Max Brenner em Back Bay (sim, andamos todos os dias por este bairro fofo), mas não curtimos tanto o atendimento. Já conhecemos a Max de NYC e amamos o Chocopop que eles tinham, mas no almoço o atendimento deixou a desejar. A comida estava uma delícia, mas demorou muito para chegar e a entrada veio junto com o prato principal, e logo depois já trouxeram a sobremesa (????), que Flavitcha delicadamente pediu para trazerem quando terminássemos o almoço, porque havia sorvete e iria derreter.

Após comermos bem (e muito!), andamos pelo Boston Common. Ele é colado no Public Garden, ambos separados por uma rua, e muitas pessoas se confundem achando que os dois são um único parque. O Common foi o primeiro parque público criado no país, é bem grande e agradável de andar, com vários caminhos e uma pista de patinação no inverno. Muitas pessoas ficam por lá brincando com os doguinhos e curtindo o dia.

Andamos um pouco e seguimos para Downtown, tudo a pé! Se você olhar no mapa, as distâncias parecem grandes, mas dá para caminhar tranquilamente. Chegamos ao Boston Public Market, passamos pelos pubs das ruas Union e Marshall (bem legais!) e fomos ao Faneuil Hall Marketplace, um lugar muito lindo e agradável, onde tem o Quincy Market, com várias lojas e lanchonetes. De lá, decidimos caminhar até o Christopher Columbus Waterfront Park, na Baía de Massachusetts. Nós adoramos andar nos caminhos que as cidades dos EUA têm ao lado dos rios, mar, lagoas... é sempre muito agradável! Mas em Boston a rua (Atlantic Avenue/Commercial Street) não segue margeando a baía, há alguns recuos (Harborwalk) e entramos em alguns, e decidimos seguir por ela até a Hanover Street, onde entramos e paramos na Mike's Pastry. O lugar já foi considerado ter o melhor canoli de Boston e um dos melhores dos EUA. Eu não vejo muita graça no doce, mas o melhor sempre temos que provar, não é mesmo?

Com o canoli em mãos, voltamos para o Quincy Market para comer lá. Estava gostoso, mas continuo não vendo nada de mais nele hahahaha. Voltamos andando até o Boston Common e, como ainda era cedo, decidimos andar mais um pouco por Back Bay. Nós amamos este bairro e resolvemos caminhar mais uma vez pela Commonwealth Avenue até a altura do Prudential Center e voltar. Na verdade o que queríamos era que desse logo 20h por causa da previsão de neve, mas só caiu uns cisquinhos sem graça, então nem posso dizer que nevou de verdade. Voltamos para o hotel, onde fiquei vigiando da janela até às 23h para ver se a neve vinha. Como ela não apareceu, fomos dormir porque no dia seguinte eu teria fortes emoções.

Sábado foi tecnicamente nosso último dia em Boston porque saímos da cidade cedinho no domingo.

Acordamos e fomos caminhando até o Fenway Park, o estádio do Red Sox, time de beisebol de Boston, localizado a uns 30 minutos do hotel. Lá, almoçamos no Bleacher Bar, que fica na entrada do estádio e de onde dá para ver o campo do Red Sox através de uma janela de vidro grande. Pedimos um sliders de almôndegas e batata-frita com muito queijo e bacon, tudo delicioso. Para acompanhar, escolhi uma Samuel Adams, cerveja local, mas que achei bem fraquinha, no estilo das brasileiras.

Voltamos caminhando por Back Bay e fomos para o hotel trocar de roupa porque havia o compromisso mais importante de Boston: o jogo do Tampa Bay Lightning contra o Boston Bruins, time de hóquei da cidade e um dos maiores rivais de Tampa na NHL.

O TD Garden, arena do Bruins, ficava a apenas 25 minutos do hotel, então decidimos ir andando. Eu estava empolgada e nervosa porque sabia que ia ser um jogo disputado e só queria uma coisa: uma vitória do Lightning. E a noite foi realmente cheia de emoções. Para saber como foi o jogo, clique aqui.

Rotas com Sabor

©2019 by Flávia e Graciela Mayrink. Proudly created with Wix.com

  • Instagram Graciela
  • Instagram Flávia

Nossas Rotas

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now