©2019 by Flávia e Graciela Mayrink. Proudly created with Wix.com

Magic Kingdom

Por Flávia Mayrink

A Disney

Ah, o Magic Kingdom. Como explicar este parque realmente mágico?

Sabe o que você já ouviu e viu da Disney sem nunca ter ido até lá? É o Magic Kingdom. O parque que tem o castelo da Cinderela, que tem a estátua do Walt Disney segurando a mão do Mickey, que tem a Main Street, que parece uma rua de verdade, só que na versão fofa. Está tudo lá. E, com isso tudo, a magia.

O parque é inspirado na Disneyland, que existe na Califórnia. Muitas pessoas acham que a Disney começou em Orlando, mas, apesar dos parques aqui serem maiores, ela começou com a Disneyland. Este foi o único parque que o Walt Disney conheceu. Seu escritório ficava na Main Street, em cima da estação dos bombeiros. Após sua morte, uma vela sempre fica acessa na janela onde ele gostava de observar as pessoas no parque. Então, como o Magic Kingdom foi criado com inspiração na Disneyland, essa homenagem também foi recriada aqui. Muito fofo, né?

As pessoas que nunca foram a Disney acham que lá é um lugar para crianças. Eu já penso o contrário. Você se diverte e aproveita muito mais os parques temáticos sendo adulto - ou estando em um grupo só de adultos. Até porque muitas atrações requerem altura mínima. Sim, já vi criança sendo barrada inclusive em montanha-russa na parte infantil. Sem contar que é tanto detalhe, tanta coisa para ver ao mesmo (e em tão pouco) tempo, que nem sendo mais velho você consegue. Toda vez que volto em algum parque eu olho algo e penso "como eu nunca reparei nisso antes?". Porque a ideia é esta: que cada visita seja única e diferente.

Não estou dizendo que as crianças não podem ir. Claro que podem! Mas os adultos também podem e devem ir. E aproveitar como se fossem crianças. Esqueça as regras: elas não existem. Onde mais você pode ver uma pessoa de mais de 50 anos, seja homem ou mulher, andando de arquinho de orelhas todo enfeitado e achar normal? Só na Disney mesmo!

Nós fomos ao Magic Kingdom na quarta-feira, dia 29 de janeiro de 2020, nosso segundo dia de parques da Disney, porque era o dia das Magic Hours (leia as dicas gerais - Disney). Com 2 horas a mais para aproveitar o parque, não poderia ter sido melhor!

DICA: Tente chegar no portão do Magic Kingdom antes dele abrir. Há um showzinho com os personagens bem na frente, onde fica o trenzinho, que chega a emocionar. E já te faz entrar no clima. Vale a pena!

Ao entrar, fomos para o Big Thunder Mountain Railroad, que é nossa atração favorita junto com a Space Mountain. O Big Thunder é uma espécie de montanha-russa sem radicalismos. Você entra em um trenzinho e anda por um lugar que simula uma mina abandonada. É bem divertido. E a Space Mountain é uma montanha russa (também sem muitos radicalismos) no escuro. O máximo!

Perto do Big Thunder tem a Splash Mountain, onde você entra em um barquinho e vai navegando até cair em uma queda considerável. E prepare-se, você vai se molhar um pouco (ou muito).

Todas estas atrações são bem concorridas, assim como a Seven Dwarfs Mine Train, que é uma atração mais nova e, de certa forma, similar ao Big Thunder - mas aqui, é na mina dos 7 anões, da história da Branca de Neve. Também entrou para nossa lista de favoritas!

As outras atrações eu não vou lembrar a ordem (sorry, a idade chega e foram tantas coisas na viagem que é impossível lembrar), então vou falar um pouco sobre elas, ok?

No Magic Kingdom há várias atrações que, se você não for mente aberta e entrar no "espírito Disney", você vai achá-las bobinhas. É o parque mais infantil, digamos assim, então entre no clima. E você está na Disney, aproveite para voltar a ser criança! Entre algumas delas, destaco Peter Pan's Flight, onde você "voa" com o Peter Pan, e Under The Sea, onde você vai entrar dentro do mar para acompanhar a história da Pequena Sereia.

Um que você não pode deixar de ir se for sua primeira vez na Disney é o It's a Small World. Motivo? Esta era a atração favorita do Walt Disney, tanto que ela existe no Magic Kingdom e na Disneyland. Você entra em um barquinho (bom para descansar as pernas) e vai vendo bonequinhos de várias partes do mundo, representando seus países, e depois todos terminam se confraternizando, para mostrar que o mundo, apesar de vasto, é pequeno e que somos todos iguais. É bobinho, mas é bem bonitinho. SPOILER: tem uma musiquinha chiclete que toca o tempo todo e depois gruda na sua cabeça. É uma música que tem tradução no Brasil e é assim "Há um mundo encantado, todo feito pra você, é um mundo pequeninho que a ternura fez". Não me xingue se ela já grudou na sua cabeça enquanto lê este relato.

Uma atração que é muito concorrida, mas que nós não vemos muita graça, é o Pirates of the Caribbean, inspirado no filme Piratas do Caribe, com direito a boneco igualzinho o Jack Sparrow do Johnny Deep. Nós achamos ela meio sem gracinha, mas é claro que vale a pena ir - na Disney, qualquer atração vale a pena ir, nem que seja uma vez. Nesta, você entra em um barco e vai acompanhando as aventuras do pirata Jack Sparrow.

Próximo ao Pirates, tem a Swiss Family Treehouse - que é exatamente o que o nome diz: uma casa na árvore, onde você vai subindo e descendo e vendo como ela é. Não é nada de mais, mas, novamente, vale a visita.

Não deixe de ir na Haunted Mansion. Mesmo que você tenha medo de filmes de terror, vá, porque não chega a ser mal assombrada no sentido ruim. É mais uma assombração legalzinha, digamos assim. Não vou contar nada para não perder a graça. Apenas vá.

Uma atração que fomos com o fast pass foi o Tomorrowland Speedway. Você anda em um carrinho em uma pista de corrida. E é você quem dirige mesmo, impondo a velocidade e controlando o volante. O carro é preso para não sair da direção que você tem ir, mas você tem que fazer as curvas e tentar mantê-lo reto. Digo tentar porque o volante, pelo menos do que eu dirigi, era muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito duro. Sério. Saí de lá com os braços doendos. Percebi que algumas pessoas guiavam fácil e outras tinham dificuldade, então torça para você ser sortudo e pegar um que a direção seja mais suave. A Gra se livrou desta porque foi de carona comigo. Ah, alguns carrinhos são com o volante "do lado errado", como na Inglaterra, ou seja, do lado direito.

Em Tomorrowland, também fomos no Buzz Lightyear's Space Ranger Spin, onde você tem que acertar alvos enquanto seu carrinho anda e gira. É um simulador bem parecido com o MIB, da Universal, e o Toy Story Mania, do Hollywood. Ou seja, bem legal. E também fomos ao Monsters Inc. Laugh Floor, onde você entra em um teatro e há uma interação com os personagens do desenho Monstros S.A. Esse eu recomendo só se você entender inglês. Quando fomos, foi bem engraçado. Ah, se você for tímido, tente sentar o mais atrás possível: há interações mesmo e você corre o risco de aparecer no telão que tem lá na frente ou de ter que responder algumas perguntas no microfone.

Há várias outras atrações no parque, que não fomos desta vez porque já fomos antes. Nem todas você vai querer repetir, mas se for sua primeira vez, tente ir ao máximo que conseguir. Aproveite tudo o que o parque tem a oferecer!

Entre as comidas deliciosas que experimentamos no Magic Kingdom, seguem as que mais gostamos:

 

- Corndog no Casey's Corner, onde qualquer cachorro-quente também é delicioso;

- Sorvete Dole Dip de abacaxi no Aloha Isle;

- Milkshake de chocolate no Auntie Gravity's Galactic Goodies - vem com chantilly e granulado no formato do rosto do Mickey, fofo demais;

- Cinnamon roll no Gaston's Tavern - este é bem grande, nós dividimos - DICA: peça com extra frosty. Eles vão te dar um potinho com mais um pouco de cobertura, sem cobrar nada por isso.

- Jerk-smoked Brisket Sandwich no Tortuga Tavern - delicioso, uma das comidas que mais gostamos da Disney nesta viagem.

Rotas com Sabor

  • Instagram Graciela
  • Instagram Flávia

Nossas Rotas

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now